Sobre o trabalho aos sábados banco espanhol chegou ao absurdo de declarar que, caso aconteça algum problema, o trabalhador não terá cobertura de acordo com as normas da CLT, já que o trabalho é voluntário e também não tem remuneração

Os funcionários do Santander terão de aguardar respostas concretas da direção do banco. A negociação, realizada nesta quinta-feira (25/04), foi intensa e entrou pela noite. Mas, ao final, não teve muitos avanços e nem todos os assuntos puderam ser discutidos.

As questões sobre o plano de saúde, bem acima do INPC/IPCA e dos reajustes da categoria, segurança e o retorno às atividades após afastamento pelo INSS ficaram para o próximo encontro, ainda sem data marcada. Outro ponto pendente é a extensão do prazo para certificação do CPA 10. A direção da empresa ficou de dar a resposta até a última sexta-feira (26/04). Mas até às 17h ainda não havia se manifestado.

De positivo, apenas o reembolso de quilômetro rodado para os bancários que fazem visita. Sobre a unificação de cargos, o Santander informou que as metas serão coletivas, assim como a remuneração, o chamado carteirão. Com relação aos cursos e treinamentos, a reivindicação é de que sejam feitos dentro do horário de trabalho. O banco não respondeu e disse apenas que avalia a possibilidade de algum módulo de forma presencial.

O cartão Ben Visa Vale, nova bandeira de alimentação, também esteve na pauta. A direção da empresa disse que foram cadastrados 123 mil pontos de atendimentos, com previsão de 300 mil até o fim do ano. Porém, não pretende prorrogar o prazo para consumo do cartão anterior – o Alelo – por questões contratuais.

>> Abertura no final de semana é ilegal!

Outro ponto de discordância é a abertura das agências para trabalho voluntário no fim de semana, uma medida que contraria os sindicatos. Como resposta, o Santander chegou ao absurdo de declarar que, caso aconteça algum problema, o trabalhador não terá cobertura de acordo com as normas da CLT, já que o trabalho é voluntário e, portanto, também não tem remuneração.

Sem acordo, a COE (Comissão de Organização dos Empregados) reivindicou que a ação seja feita fora do local de trabalho, já que se trata de uma atividade “social”, como justifica o Santander.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Santos e Região

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *