De acordo com o portal da Contraf-CUT, a Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú se reuniu com o banco, nesta quarta-feira, 16 de dezembro, para discutir o novo protocolo da Covid-19, que está em teste nos estados de Pernambuco e da Bahia e na cidade de São Paulo. A reunião faz parte do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do Itaú e visou esclarecer alguns pontos do protocolo que estavam sendo questionados pelos bancários.

Os representantes dos trabalhadores questionaram a postura de alguns gestores que se negam a fechar agências em casos de suspeita de contaminação; a distância estabelecida entre os trabalhadores prevista no protocolo, de 1,5 m de distância entre os funcionários em exposição superior a 15min; o afastamento dos contatantes e a proximidade dos caixas com os gerentes operacionais (Gos) e supervisores, casos que em muitas situações não estão sendo afastados.

O banco esclareceu que, em caso de suspeita de Covid-19, a agência deverá ser fechada, sanitizada e haverá apuração junto aos trabalhadores que tiveram contato com o infectado, podendo ser afastados por até 14 dias abonados. A agência abrirá com os não contatantes.
No caso dos caixas, todos serão afastados pela proximidade de atividade, assim como quem teve contato próximo (1,5 m de distância por mais de 15min), independente da função, incluindo gerente operacional e supervisor. O banco também afastará quem teve contato externo à agência, horário de almoço, carona etc. A testagem será feita conforme orientação da teleconsulta.

O banco alerta ainda que está monitorando os trabalhadores com relação ao uso dos equipamentos individuais de proteção, que irá advertir e, na reincidência, punir. Também está fazendo lives e campanhas educativas sobre o uso de máscaras e canal de comunicação interno.

O GT reafirmou a necessidade de campanhas de conscientização do uso obrigatório dos EPIs e também da informação e cobrança dos gestores sobre a aplicação correta do protocolo.

De acordo com o representante da Fetrafi-RS na COE Itaú, Eduardo Munhoz Baptista (Dudu), embora os protocolos estejam sendo testados em outros estados, os mesmos problemas para cumprimento do que vinha sendo determinado foi verificado no Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre há inúmeros casos positivados de Covid-19 e os dirigentes sindicais estão cobrando os gestores sobre os cuidados com a prevenção. “Muitas vezes precisamos denunciar para o banco através dos canais de relações sindicais para o devido cumprimento dos protocolos”, reforça.
Segundo Dudu, o banco agiu nos casos denunciados, advertindo os gestores e reforçando instruções, após cobrança dos sindicalistas. Entretanto, reforça o representante dos empregados do Itaú no estado, é importante que os colegas denunciem quando verificarem abusos e quebra de protocolos.

Fonte: Contraf-CUT, com edição da Fetrafi-RS

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *