Trabalhadores se surpreenderam com a afirmação do banco que está estudo quais agências serão atingidas

Embora o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari, tenha dito em entrevista no fim de outubro que pretendia fechar 450 agências até 2020, o banco afirmou, em reunião nesta segunda-feira 25 com a Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco, que trata-se de um estudo. Para o banco, este último leva em consideração o cenário econômico, o acompanhamento do movimento de clientela e as inovações tecnológicas.
“Cobramos um posicionamento do banco sobre o anúncio, porém, estranhamente, o setor de Recursos Humanos não confirmou a informação dada pelo Presidente. Ao contrário, informou que se trata apenas de um estudo e que não há nada que indique, ainda, o fechamento de todas as agências”, reforçou Sandro Cheiran, representante do Rio Grande do Sul na COE.

“Nos surpreende o banco dizer que trata-se apenas de um estudo. Como pode o banco fazer um anúncio tão grave como esse sem que haja definições? Isso alarma os funcionários e os deixa apreensivos, com medo do desemprego”, disse a coordenadora do COE, Magaly Fagundes.

A COE, então, reivindicou que não haja, no fechamento das agências, desligamento dos funcionários, e que o Bradesco requalifique os trabalhadores e respeite a cláusula específica (54ª) da CCT da Categoria. O banco afirmou primar pela requalificação das pessoas e disse que os funcionários afetados serão reaproveitados. E ainda garantiu que o Sindicato e entidades representativas serão avisados antes de qualquer ação.

 

Orientação financeira e renegociação de dívidas

Outro assunto abordado na reunião foi o mutirão de orientação financeira e renegociação de dívidas a ser realizado de 2 a 6 de dezembro, com atendimento estendido até as 20h. A ação, setorial, é organizada pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Valorização dos empregados

Os representantes dos trabalhadores também questionaram a busca por especialistas em investimentos no mercado de trabalho. O Bradesco informou que a política de valorização dos funcionários do banco está mantida e que a busca por profissionais no mercado visa apenas suprir a carência interna de especialistas em investimentos para estender esse segmento às agências de alta renda. Segundo o banco, para ser elegível a estas vagas é preciso atender um perfil profissional e possuir a Certificação CEA da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) e conhecimento em tecnologia da informação.

Mutirão para renegociação de dívidas

Sobre o mutirão de aberturas de agências até às 20h, marcado para ser realizado do dia 2 de dezembro a 6 de dezembro, para orientação e renegociação de dívida, o banco informou que será um serviço voluntário e que as horas extras serão pagas.

Fontes: Contraf-CUT e Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, com edição da Fetrafi-RS

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *